Comunidades tradicionais e o papel do áudio na comunicação

A internet e os celulares popularizaram novamente os canais de rádio. Hoje, transmitidos não apenas em aparelhos de som, mas também pelos meios digitais.

Diferentes gerações se encontram quando o assunto é rádio. É possível notar nos portais voltados ao assunto que a idade não faz diferença para os amantes da música.

Comunidades tradicionais, pelo Brasil todo, utilizam rádio como forma de comunicação e articulação social.

A cada ano cresce exponencialmente o número de rádios comunitárias e digitais no país, principal canal utilizado pelas comunidades tradicionais para expressar sua cultura e ter voz no mundo atual.

 

A programação destes canais tem um carater mais direto e artístico e menos comercial que as rádios convencionais, permitindo um espaço de atuação mais amplo e livre. Além de, em muitos casos, servir como forma de integração de comunidades isoladas.

As formas de expressão artísticas de uma comunidade, como música, tradição, sabedoria popular e cultura,  por meio de contadores de história, são possíveis, utilizando a rádio como veículo de comunicação e expressão. A atuação no meio digital é bem vista pelas comunidades por ter baixo custo e fácil acesso.

O projeto Rede de turismo ambiental nas comunidades tradicionais de Ubatuba, incentiva as comunidades participantes a criarem seu espaço nas frequencias de áudio, elucidando e comunicando as possibilidades e caminhos para atuação. para que, no futuro, possam ter espaço próprio para desenvolver e ouvir a comunicação de sua própria aldeia.

A apropriação das ferramentas digitais pelas comunidades tradicionais é importante para garantir a autonomia da gestão de sua comunicação, seja em áudio, vídeo ou outros meios digitais.